Cooperativa Eléctrica de Loureiro

Níveis de Conforto 

Um objectivo comum a toda a sociedade consiste na obtenção de adequados níveis de conforto, quer nas habitações, quer nos locais de trabalho, em simultâneo com preocupações ambientais e económicas, cabendo a cada cidadão promover a utilização de energia de uma forma mais eficiente e racional.

Como podemos contribuir ativamente neste processo de harmonização entre mais conforto e melhor ambiente ?

Através de pequenos gestos: desligar a luz de uma sala vazia, corrigir temperatura de um termóstato (cilindro/aquecedor), ou utilizar sempre as máquinas de lavar louça e roupa na sua carga máxima.

Alertamos ainda para a leitura atenta das instruções dos fabricantes de eletrodomésticos, nomeadamente em termos de potência elétrica, consumos de energia, eficiência energética, normas, condições de utilização e segurança.

Potências Recomendadas

Todos os aparelhos eléctricos têm uma pequena placa onde está inscrita a sua potência, que vem normalmente expressa em Watt (W) podendo, todavia, também estar expressa em kW (1kW=1000W ~ 1kVA).
Potências e Consumos médios mensais
A informação abaixo referida é puramente orientadora dado que o consumo de cada instalação varia em função da potência instalada (somatório das potências dos aparelhos eléctricos), do número de horas de utilização, do número de pessoas que a utilizam e da forma como se usam os aparelhos eléctricos.

Aparelhos Potência média (Watt) Consumo médio mensal (kWh)
Iluminação 500 12
Ferro de engomar 1000 15
Secador 500 5
Televisão 200 30
Arca congeladora 200 30
Frigorífico 200 40
Máq. lavar roupa 2500 50
Máq. lavar louça 3000 60
Fogão eléctrico 5000 150
Forno eléctrico 2000 20
Fritadeira eléctrica 1500 10
Termoacumulador 12-14 (W/litro) 200
Aquecimento 70-90 (W/m2) 15-20 (kWh/m2)*
Ar condicionado 15-20 (W/m2) 3-4 (kWh/m2)

* Conforme o nível de isolamento da habitação e a utilização do equipamento

Potências recomendadas

A potência a contratar pelo Cliente depende, em cada momento, do número e da potência dos equipamentos existentes na sua instalação, bem como da forma e simultaneidade da sua utilização, dado que quantos mais equipamentos usar simultaneamente maior será a potência necessária.
A título meramente exemplificativo, indicam-se algumas potências recomendadas em função da existência e utilização de determinados electrodomésticos.

Se possuir a aparelhagem indicada no último nível de potência (13,8 kVA) e não desejar sujeitar-se a qualquer condicionamento de utilização, é recomendável a contratação das potências de 17,25 kVA, 20,7 kVA, ou outras superiores.
Se verificar que a potência que contratou não está adequada às suas necessidades (como, por exemplo, aumento ou diminuição do número de aparelhos eléctricos), poderá em qualquer momento solicitar a alteração (aumento ou diminuição) da potência inicialmente contratada.

Conselhos úteis

Princípios básicos para a Utilização Racional de Energia

Os equipamentos deverão:

Funcionar apenas nos períodos necessários;

Fornecer apenas a potência necessária para o fim a que se destinam;

Evitar utilizações opostas em simultâneo, como por exemplo, o aquecimento e o arrefecimento;

Procurar sempre tirar o máximo partido das condições naturais.

Tenha sempre presente a segurança, particularmente no que respeita às crianças, prevenindo possíveis acidentes.

Na compra de qualquer electrodoméstico deverá ser tido em conta seu consumo eléctrico, bem como, quando aplicável, o consumo de água e respectivos consumíveis.

Tenha sempre em atenção a etiquetagem energética. Quando não exista etiqueta, procure informar-se junto do seu fornecedor.
E lembre-se:

No saber usar é que está o ganho - Nosso e do Planeta.

Etiquetagem energética

O progresso tecnológico permite, hoje em dia, lavar roupa utilizando menores quantidades de água, conservar alimentos e cozinhá-los sem desperdiçar frio e calor, ver televisão ou ouvir música sem consumir kWh inúteis. Os aparelhos são cada vez mais ricos em recursos e em performances devendo haver, no acto da compra, a preocupação de atender à “eficiência energética dos aparelhos”.

Para evitar que os consumos domésticos de electricidade aumentem desnecessariamente, é conveniente a utilização correcta e eficiente dos electrodomésticos. Para que tal aconteça os Clientes terão de ter acesso a informação clara que lhes permita escolher correctamente entre diferentes aparelhos e utilizá-los adequadamente.

Para auxiliar os utilizadores a efectuarem as escolhas mais acertadas foi criada a etiqueta energética, que classifica os equipamentos de A (mais eficientes) a G (menos eficientes).

Esta etiqueta é de colocação obrigatória nos principais aparelhos electrodomésticos à venda em todos os países membros da União Europeia. A etiqueta fornece informações normalizadas sobre o consumo de electricidade e de água dos aparelhos.

Sistemas de automação doméstica

A automação doméstica — domótica — é um sistema que pode ser constituído à medida e de acordo com a exigência de cada utilizador, abrangendo diferentes áreas tais como:

O Conforto: Sistemas de climatização, controlo de iluminação, motorização de estores e janelas, telecomando de portas e portões;

A Segurança: Controlo de acessos, detectores de fumo, fugas de gás, águas, equipamentos de alarme local e à distância, detectores de intrusão;

A Gestão de Energia: Racionalização de energia com reguladores automáticos de temperatura, recurso a tarifa Bi-horária, redução de iluminação;

As Comunicações: Processamento automático de chamadas telefónicas em caso de alarme contra intrusão, telecuidado, controlo remoto, etc.

A utilização da domótica permite melhor conforto, elevados níveis de segurança, economia de energia e melhores comunicações, portanto, uma melhor qualidade de vida.

Águas Quentes

O termoacumulador de água quente, vulgarmente designado por cilindro eléctrico, deverá sempre ser colocado dentro da habitação e nunca ao ar livre, evitando-se assim muitas perdas de energia. Se possível, é até conveniente isolá-lo com material adequado.

A sua instalação deverá ser próxima do(s) ponto(s) de maior utilização permitindo assim reduzir ao máximo os desperdícios de água quente, conseguindo-se desta forma obter o máximo de eficiência com custos mais reduzidos na factura da água e da electricidade.
No mercado, existem dois tipos de termoacumuladores: standard que poderão ser de alta e baixa pressão, e de duplo nível.

Estes últimos têm a particularidade de possuírem duas resistências, uma de acumulação para o período nocturno e outra de aquecimento rápido, caracterizando-se ainda por um melhor isolamento térmico. São dotados de comando através de interruptor horário programado para tirar partido das vantagens da utilização da tarifa Bi-horária. Este tipo de comando pode, no entanto, ser associado a qualquer modelo de termoacumuladores, potenciando uma redução na factura energética.

A substituição do termoacumulador convencional por outro deste tipo é fácil, não implicando quaisquer alterações em termos de infra-estruturas eléctricas e/ou de construção civil.

Se estiver ausente mais do que 3 dias, deverá desligar o termoacumulador. Se a ausência for menor, baixe a temperatura de regulação do termóstato.

Aquecimento, Ventilação e Ar Condicionado (AVAC)

Aquecimento

Importa ter sempre presente que uma boa orientação solar (Nascente-Poente) condiciona as necessidades energéticas e o conforto.
Durante o dia, suba ou abra as persianas. Ao anoitecer, feche-as e corra as cortinas para reduzir as perdas de calor.

As janelas devem estar sempre fechadas. Para possibilitar o arejamento de um qualquer compartimento, é suficiente manter as janelas abertas por um período de 10 minutos. Períodos mais longos, não provocam benefícios adicionais para o ambiente e a temperatura interior descerá tanto que será necessário gastar muito mais energia para voltar a ter condições de conforto.

Uma interessante e económica forma de aquecimento reside na utilização de aquecedores de acumulação. Estes aquecedores são constituídos por blocos de material cerâmico, em cujo interior se encontram resistências eléctricas. Mesmo estando ligados apenas entre 5 a 8 horas, podem dissipar calor durante 24 horas, mantendo uma temperatura bastante homogénea no local a aquecer.

O que torna este tipo de aquecimento economicamente atraente face a outros, quer eléctricos, quer utilizando outras fontes de energia, é o facto de se poder tirar partido da tarifa Bi-horária, aproveitando as horas de vazio (durante a noite e fins de semana), para efectuar o armazenamento de calor.

Ventilação e Ar Condicionado

Para evitar o desconforto causado pelas diferentes temperaturas sentidas no Inverno/Verão, bem como as variações do teor de humidade, existem no mercado vários sistemas de climatização ambiental que se evidenciam pela capacidade de controlar a temperatura, humidade, ventilar e ainda filtrar o ar ambiente.

Embora haja aparelhos de ar condicionado que têm apenas função de arrefecimento, há também outros baseados na bomba de calor, que funcionam efectuando a transferência de energia calorífica de um meio para outro, arrefecendo-o ou aquecendo-o, conforme o objectivo.
A bomba de calor é um equipamento que transfere mais do triplo da energia térmica relativamente à energia eléctrica consumida tendo, portanto, um rendimento bastante elevado.

A maioria dos equipamentos é baseada na tecnologia Inverter, a qual permite uma maior eficiência energética, reduzindo o consumo de energia e proporcionando uma melhor regulação de temperatura.

Deverá existir um cuidado especial relativamente à limpeza das condutas dos sistemas AVAC, assim como a manutenção de um caudal apropriado de renovação de ar.

Iluminação

Aproveitar a luz natural, sempre que possível

Os níveis de iluminação devem estar conforme as necessidades das tarefas a executar (habitação ou local de trabalho), devendo evitar-se candeeiros ou armaduras com quebra-luz muito opacos.

As lâmpadas fluorescentes são as mais adequadas para utilização em espaços que requerem boa luminosidade e com necessidades longas de iluminação (mais de 20 minutos seguidos), como é o caso de cozinhas, casas de banho e áreas de serviço.

Existem ainda as lâmpadas fluorescentes compactas, especialmente recomendadas para utilização contínua por longos períodos de tempo (mais de 1 hora), preparadas para um elevado número de manobras (acender e apagar), sendo a sua instalação compatível quer com as armaduras existentes, quer com os casquilhos tradicionais das lâmpadas incandescentes. Apresentam uma vida útil cerca de 8 vezes superior à das lâmpadas incandescentes, um consumo de energia eléctrica cerca de 80% inferior e ainda reduzido tamanho.

Importante

Assegure-se de que, durante a realização de qualquer reparação ou limpeza, os electrodomésticos estão desligados e que não serão ligados inadvertidamente.

No caso de falta de energia eléctrica deverá considerar as suas instalações permanentemente em tensão, ou seja, actue como se não tivesse existido interrupção de fornecimento de electricidade.

A Electricidade e as Crianças

Não deixe que as crianças introduzam os dedos e objectos nas tomadas.

Para evitar que tal aconteça, prefira tomadas com alvéolos protegidos ou então instale obturadores nas tomadas já existentes. Sempre que se afastar das crianças desligue os aparelhos que produzem calor (ferro de passar, placas eléctricas...), e não os deixe ao seu alcance.

Prefira os brinquedos eléctricos que são equipados com um transformador que reduz a tensão a um valor inofensivo ou os que são alimentados a pilhas.

Electricidade no Exterior
Tenha cuidado sempre que utilizar uma peça metálica de grande comprimento (uma escada, uma cana de pesca, um mastro, etc.) perto de uma linha aérea.

Em caso de trovoada, nunca se abrigue debaixo de uma árvore ou perto de um curso de água.

Não fixe cordões de roupa, vedações, etc. a postes ou colunas eléctricas. Não toque em cabos eléctricos caídos no chão. Sempre que se depare com tal situação, ligue imediatamente para o número de telefone 256 692 318 .

Antes de utilizar um aparelho eléctrico no exterior, assegure-se que o solo não está molhado e verifique se o aparelho eléctrico possui duplo isolamento ou uma ficha de ligação à terra.

Electricidade e Águas
Nas casas de banho, há regras de segurança que devem ser respeitadas de forma muito rigorosa.

Zona Vermelha: Volume de Interdição

  • Interdita a instalação e utilização de qualquer aparelho eléctrico.
  • Zona laranja: Volume de Protecção
  • Permitidos apenas botões de sinalização com cordão isolante, desde que alimentados em tensão reduzida de segurança (25V ou inferior), ou por intermédio de transformadores de classe II de duplo isolamento.
  • Zona Verde: Volume Livre

Permitidos todos os aparelhos, preferencialmente os protegidos contra queda de gotas de água e de classe II.

Nestas divisões, não é permitida a utilização de aparelhos eléctricos portáteis, a menos que sejam de duplo isolamento (classe II ). Não ligue convectores ou radiadores na casa de banho se eles não estão especificamente concebidos para este tipo de divisão. O contacto da água com estes aparelhos é perigoso.

Os aparelhos de aquecimento e chuveiros eléctricos a instalar nas casas de banho, devem obedecer aos seguintes requisitos:

  • Ser alimentados por um circuito próprio (não podem ser ligados através de uma ficha e tomada);
  • Ser protegidos por um aparelho diferencial de alta sensibilidade;
  • Ser controlados através de interruptor no exterior da casa de banho ou por um interruptor com um cordão;

Não deve tocar num aparelho eléctrico se estiver no lavatório, banheira ou duche. Há perigo de electrização e de morte (electrocussão).

Nunca utilize os aparelhos eléctricos com as mãos molhadas ou se tiver os pés na água. O risco de sofrer uma electrocussão é muito elevado.

Desligue os electrodomésticos da corrente (ferros eléctricos, frigoríficos, trituradoras, mixers, etc.) antes de os limpar ou lavar. Nunca os mergulhe em água nem os lave debaixo da torneira. As varetas, lâminas e outros acessórios similares devem ser retirados e lavados separadamente. Nunca apague um fogo de origem eléctrica com água. Em caso de incêndio, deverá desligar toda a sua instalação eléctrica e utilizar um extintor apropriado.

Cabos e Tomadas

Os cabos eléctricos devem ter a secção adequada e devem ser protegidos por condutores de terra.

Deve-se sempre verificar se os cabos estão partidos, deteriorados e se têm nós ou o isolamento danificado. Em qualquer uma dessas situações, mande imediatamente efectuar a sua reparação ou substituição.

Não transporte os aparelhos ou ferramentas eléctricas pelo cabo.

Antes de ligar o aparelho verifique se os cabos de ligação são suficientemente compridos.

Ao desligar um aparelho da tomada puxe sempre pela ficha e nunca pelo cabo eléctrico.

Evite deixar desnecessariamente cabos estendidos pelo chão. Não coloque cabos eléctricos por baixo de tapetes ou alcatifas onde eles serão pisados e onde qualquer avaria será dificilmente detectada.

Ao utilizar uma extensão eléctrica, ligue primeiro a extensão ao aparelho e só depois aquela à tomada. Ao desligar proceda pela ordem inversa.

Não utilize extensões enroladas para alimentar aquecedores ou outros aparelhos de potência elevada.

Evite as ligações com fichas de tomada tripla. As tomadas da instalação não estão preparadas para uma sobrecarga electrotérmica desta natureza.

A solução correcta para ligar vários aparelhos no mesmo local é utilizar tomadas múltiplas ou uma pequena extensão com o número de tomadas necessárias e ligar cada aparelho a uma tomada.

As tomadas partidas ou desmontadas e os interruptores defeituosos constituem perigo, pelo que devem ser imediatamente substituídos.

Não introduza objectos metálicos nas tomadas.

Aparelhos Eléctricos

Ao adquirir um aparelho eléctrico, confirme se possui a certificação de conformidade europeia CE e instruções em Português.

Certifique-se de que existe uma garantia do fornecedor ou do distribuidor em Portugal de um serviço de assistência pós-venda.

Antes de pôr a funcionar um electrodoméstico novo, assegure-se de que está em bom estado, leia as instruções de funcionamento e tenha em consideração a sua potência eléctrica.

Ao ligar um aparelho, tenha em atenção que o mesmo pode necessitar de ser ligado à terra de protecção. Se a ficha de origem for própria para ligação à terra ligue-o sempre a uma tomada com ligação à terra.

Instale nos aparelhos sensíveis (computadores, impressoras, scanners, telefax, etc.) dispositivos de protecção contra sobretensões para evitar danos indesejáveis.

Não deixe nunca um aparelho ligado inutilmente. Tenha em especial atenção o ferro eléctrico, que imediatamente após ser utilizado, deve ser desligado e colocado em lugar seguro, atendendo-se às inevitáveis necessidades de arrefecimento.

Se ao utilizar um aparelho eléctrico, sentir formigueiro, desligue-o da corrente e mande-o reparar.

Alguns electrodomésticos, especialmente fornos, televisores equipamento de som, devem colocar-se a uma certa distância da parede para evitar o sobreaquecimento. No caso de aparecer fumo ou algum cheiro fora do comum, deverá desligar imediatamente os aparelhos e solicitar o apoio de um técnico.

Tenha ainda em atenção o calor das lâmpadas e evite a sua aproximação a pilhas de papéis e cortinados.

A solução correcta para ligar vários aparelhos no mesmo local é utilizar tomadas múltiplas, ou uma pequena extensão com o número de tomadas necessárias e ligar cada aparelho a uma tomada.

Estimado Cliente

A falta de energia eléctrica na sua instalação poderá dever-se a vários factores, sendo os mais usuais:

Número excessivo de aparelhos ligados em simultâneo (sobrecarga);

Avaria de algum dos seus aparelhos ou da sua instalação eléctrica;

Avaria ou deficiência exterior à sua instalação eléctrica.

Assim, no caso de falta de energia, deixamos as seguintes recomendações:

Instruções a seguir

1- Quadro Geral
Verifique se o Disjuntor Geral, bem como algum ou todos os disjuntores do Quadro Geral se encontram na posição de desligados.
2- Disjuntores
Se o Disjuntor Geral ou algum dos disjuntores parciais estiver na posição de desligado, volte a ligá-lo. Se com todos os disjuntores ligados a falta de energia persistir, passe para o ponto 3. Se os disjuntores voltarem a desligar passe directamente para o ponto 4.
3- Falta de energia com todos os disjuntores ligados
Se a falta de energia persistir com todos os disjuntores ligados, queira contactar os nossos serviços através do número de telefone 256 692 318, indicando o Código do Ponto de Entrega (CPE), que consta na sua factura de energia eléctrica, e o nome do titular do contrato.
4- O disjuntor volta a desligar

Se voltar o desligar, significa que:

  • Poderá haver demasiados aparelhos ligados (sobrecarga);
  •  Terá algum dos seus aparelhos ou a sua instalação eléctrica com alguma avaria.
5- Localização da avaria, ou sobrecarga num circuito eléctrico
  • Desligue todos os disjuntores do seu Quadro Geral;
  • Ligue o Disjuntor Geral;
  • Ligue os disjuntores do Quadro Geral um a um;

Importante: Se ao ligar algum disjuntor do Quadro Geral, este voltar a desligar, localizou qual o circuito eléctrico que originou a avaria ou que está em sobrecarga. Note que há avarias que poderão também originar o desligar do Disjuntor Geral.

6- Verificação da avaria do circuito eléctrico
Desligue todos os aparelhos ligados ao circuito.
Volte a ligar o disjuntor que desligou e o Disjuntor Geral (caso o tenha desligado); se voltar(em) a desligar, a avaria está localizada no seu circuito eléctrico. Deixe o disjuntor parcial do Quadro Geral desligado, volte a ligar o Disjuntor Geral (caso o tenha desligado) e providencie a necessária reparação do circuito eléctrico.
7- Identificação do aparelho que originou a avaria ou sobrecarga
Comece a ligar, um a um, os aparelhos que desligou.
Se ao ligar algum dos aparelhos o disjuntor volta a desligar, localizou o aparelho que origina a avaria ou a sobrecarga no seu circuito eléctrico. Deixe o aparelho desligado, volte a ligar o disjuntor parcial e o Disjuntor Geral (caso o tenha desligado) e os restantes aparelhos.

Primeiros socorros

Em atualização

Mini Enciclopédia

Amperímetro
Instrumento destinado a medir o valor da corrente eléctrica.
Aparelho de Classe II
Aparelho ou equipamento no qual, além do isolamento normal individual de cada componente, existe um invólucro isolante do conjunto.
Busca-pólos
Dispositivo que permite identificar peças sob tensão numa instalação eléctrica através de uma indicação luminosa.
Caixa de coluna
Quadro existente numa coluna, principal ou derivada, para ligação de entradas ou de colunas derivadas e contendo ou não os respectivos aparelhos de protecção contra sobreintensidades.
Canalização eléctrica
Conjunto constituído por um ou mais condutores eléctricos e pelos elementos que asseguram o seu isolamento eléctrico, as suas protecções mecânicas, químicas e eléctricas e a sua fixação, devidamente agrupados e com aparelhos de ligação comuns.
Carga eléctrica
Quantidade de electricidade existente em qualquer electrão, ou qualquer valor da corrente eléctrica numa instalação.
Choque (eléctrico)
Sensação sofrida por quem toque num objecto sob tensão eléctrica de mais de 100V. Pode causar lesões irreversíveis, incluindo a morte.
Circuito eléctrico
Conjunto de canalizações e aparelhos eléctricos, incluindo os de utilização, dotado do mesmo aparelho de protecção contra sobreintensidades no quadro onde tem início.
Coluna
Canalização eléctrica colectiva que tem início num quadro de colunas.
Compatibilidade Electromagnética
É a capacidade dos equipamentos ou sistemas funcionarem sem erros quando inseridos no seu ambiente electromagnético apropriado ou habitual.
Condutor (eléctrico)
Fio, geralmente de cobre, que conduz a corrente eléctrica. Dá-se também o mesmo nome a toda a peça metálica em contacto com a tensão eléctrica.
Condutor de protecção (fio de terra)
Fio condutor que, desde o ponto de terra, se liga a qualquer electrodoméstico que, técnica ou funcionalmente, dele careça.
Contador
Aparelho destinado a medir o consumo de energia eléctrica.
Corrente eléctrica (ou intensidade de corrente eléctrica)
Movimento de electrões livres ao longo de um fio condutor.
Curto-circuito
Situação em que dois condutores de fases diferentes se tocam, directamente ou por intermédio de outro condutor. Pode dar origem a incêndios.
Diferença de potencial
(ver tensão eléctrica)
Disjuntor de protecção
Aparelho destinado a interromper a corrente eléctrica num determinado condutor. Encontra-se geralmente no quadro de entrada, é de funcionamento automático em caso de sobreintensidades da instalação interior de uma casa e pode, se for necessário, ser accionado manualmente.
Disjuntor diferencial
Dispositivo destinado a interromper a corrente eléctrica, se na instalação interior da casa houver uma fuga à terra. Está habitualmente localizado no quadro de entrada.
Duplo isolamento (ver classe II)
Aparelho ou equipamento no qual, além do isolamento normal individual de cada componente, existe um invólucro isolante do conjunto.
Electrocussão
Ínfima carga eléctrica constituinte de qualquer tipo ou natureza da matéria.

Lâmpadas LED

Poupe Energia. Utilize lâmpadas LED. Veja a tabela comparativa abaixo.

Tabela de equivalências aproximadas para alguns tipos de lâmpadas

Tipos de lâmpadas

Led

Incandescente

Halogéneo

Fluorescente economizadora

1 W

10 W

5 W

2 W

2 W

20 W

10 W

4 W

3 W

30 W

15 W

6 W

5 W

50 W

25 W

9 W

7 W

60 W

35 W

13 W

10 W

80 W

45 W

18 W

12 W

100 W

55 W

20 W

Tempo de vida útil aproximado: 50.000 horas

Tempo de vida útil aproximado: 1.000 horas

Tempo de vida útil aproximado: 2.000 horas

Tempo de vida útil aproximado: 15.000 horas